Translate

domingo, 29 de dezembro de 2013

A Nova Era



A Nova Era ou a Idade de Aquário será de facto o verdadeiro impulso que parte de mundos superiores na busca, procura e reencontro do nosso ser interior?

Nova Era - A Idade de Aquário
Os filósofos da Nova Era defendem que entrámos numa nova época de mudanças fundamentais. A Idade de Aquário, na qual - segundo os cálculos dos antigos Gregos - nos encontramos desde 1950, é marcada por uma nova consciência, em que se combinam várias «consciências individuais» que assim ascendem a um nível superior. Cada um de nós deve ser mais responsável por si próprio, pela Humanidade e, pelo planeta.
As redes globais possibilitam processos mentais no sentido da imagem integral do ser humano. Aos períodos convencionais da Antiguidade e das Idades Média e Moderna, junta-se agora a Nova Era que, no entanto, não designa um determinado espaço temporal, mas sim determinadas qualidades do tempo.
"Chegou o tempo de cada um encontrar o seu mestre interior e, a paz dentro de si, antes de trazer a paz ao mundo", afirma George Trevelyan (n. 1906), filósofo desta corrente.

A Alunagem
Os últimos dois milénios passaram-se sob o signo de Peixes - a Era das descobertas e das invenções - seguida agora pela Idade de Aquário, uma época de energias mentais e, espirituais. O desenvolvimento cronológico não se orienta por nenhuma data concreta, embora haja quem defenda que o nascimento de Jesus Cristo assinalou o início da Idade de Peixes e que, a chegada do Homem à Lua, marcou o início da de Aquário. Pela primeira vez, o ser humano saiu do seu espaço vital, a Terra, e pisou outro corpo celeste.

Pensar globalmente, Agir localmente
Muitas das ideias fundamentais da filosofia da Nova Era, foram formuladas pela escritora norte-americana Marilyn Ferguson, que escreveu no seu livro «The Aquarian Conspiracy» ( A Conspiração de Aquário), publicado em 1983, a seguinte palavra de ordem: "Pensar globalmente, agir localmente." O cerne do seu trabalho assenta numa transformação cultural, numa mudança de paradigma, como lhe chama.
Os valores que marcaram a nossa sociedade no passado, como por exemplo, a ideia da Natureza enquanto sistema mecanicista, devem ser substituídos por pensamentos, percepções, conceitos e valores modernos.
Marilyn Ferguson defende ainda, uma perspectiva ecológica para o mundo, o acesso total à saúde, medicina, economia, tecnologia e mesmo uma nova visão de teor feminista profundamente espiritual.

Capacidades Ocultas
Na China, o conceito de «crise» é composto pelos caracteres que significam «perigo» e «oportunidade»: é uma problemática que M. Ferguson usa como fio condutor do seu trabalho. Quando descreve os vários efeitos de uma mudança de paradigma, recorre à combinação de crise e transformação, de perigo e oportunidade. A sua «conspiração» aponta ao indivíduo os caminhos para uma nova orientação e, a descoberta de capacidades até agora por revelar.
Entre os numerosos pioneiros da Nova Era, encontra-se o britânico George Trevelyan, director de um centro de «Formação Espiritual de Adultos» em Cambridge, o qual remete constantemente nas suas obras para uma simbiose entre os conhecimentos das modernas Ciências Naturais e, as formulações dos místicos.
Também o físico nuclear norte-americano Fritjof Capra abraçou as ideias da Nova Era: na sua obra «The Tao of Physics» (O Tau da Física) procura pontos de contacto entre a experiência mística e, a mentalidade científica. Os paralelismos por ele descobertos levaram à formação de uma nova imagem do mundo.

O Mestre Interior
Nos círculos espirituais, George Trevelyan é considerado o «guru» da Nova Era. Não só é um dos edificadores da Fundação Escocesa Findhorn - que acredita nos espíritos da Natureza e se guia pelas suas recomendações no que respeita ao cultivo dos alimentos - como também se diz que é o conselheiro espiritual secreto do príncipe Carlos, herdeiro do trono do Reino Unido.
G. Trevelyan também ficou famoso pelos seus estudos sobre a doutrina natural Havaiana e, na qualidade de «Prémio Nobel alternativo». Assevera então: "O mais importante é que as pessoas compreendam que a Nova Era não é um plano mental, pensado por alguém que quer melhorar a sociedade. Acreditamos que, é um verdadeiro impulso que parte de mundos superiores, mas de uma maneira que não choca com a liberdade humana. Devíamos aprender a encontrar o nosso próprio mestre interior. Só existe uma pequena parcela do Universo que, o «eu e o tu» controlam: o nosso ser interior!"

Até dar o primeiro passo na Lua, o ser humano teve que dar muitos passos na Terra. As missões Apolo - que permitiram a primeira alunagem, tripulada em Julho de 1969 - começaram em Fevereiro de 1967.
A 11 de Outubro do ano de 1968 teve lugar - após numerosos testes - o primeiro voo espacial tripulado. Por fim, em 20 de Julho de 1969, o primeiro homem pisou a Lua. Como tal, na perspectiva exterior da aventura do Homem fora do que lhe era estabelecido na Terra, ter-se-à criado uma maior libertação em conhecimento e ambição do que até aí este sustinha. Daí, o tal passo gigante para a Humanidade e pequeno, muito pequeno para o Homem, que assim se achou digno em consideração e propriedade do que não era seu nem nunca o seria mas, de todos nós, em mais vasto conhecimento do que está para além das estrelas e tão só, do nosso planeta Terra em satélite lunar. Nova Era, nova mentalidade ou nova abertura de mentes e consensos perpetuado em nós por uma vida mais saudável e mais concisa com o que de nós se espera em pureza, liberdade e autenticidade. Mas isso, será uma quimera ou então uma simples afirmação sobre todos nós também, se nos forçarmos um pouco a que essa mudança se faça e surja em nós como flor a despontar. A Nova Era ou a Idade de Aquário, essa nossa e nova condição para que sejamos mais alegres e, supostamente mais felizes, muito mais felizes. Assim seja então, por esta Nova Era que nos abraça agora!