Translate

domingo, 6 de julho de 2014

A Magia da Concentração


Iogue Indiano

Que magia é esta ou que extremos poderes são estes em jubilar concentração de Iogues e Faquires, que os isola da dor e de feitos únicos que levaria à morte de imediato outros seres humanos? Dobrando o corpo como só os contorcionistas fazem - em elaborada ginástica física e mental - como se poderá explicar este estranho fenómeno de concentração máxima tão impressionante quanto inacessível nos demais?

Iogues e Faquires
Paramahansa Yogananda (1893-1952) - Um dos primeiros Mestres Indianos a virem ao Ocidente, falar na sua «Autobiografia de Um Iogue» de Ascetas Indianos que conseguiam materializar frutos estranhos e pratos de ouro. Era sua profunda convicção de que, as pessoas que alcançaram um elevado controlo do espírito, conseguem tornar imediatamente realidade aquilo em que se concentram.

A Teósofa e o Iogue
Annie Besant (1847-1933) - Uma das fundadoras da Teosofia Anglo-Indiana, conta a história de um Iogue que possuía uma pequena caixa vazia. Depois de a inspeccionar, pediu às pessoas presentes que dissessem o nome dos objectos que queriam que aparecessem na caixa. Um participante desejou doces de uma cidade bastante distante. O Iogue abriu a caixa e tirou dela os desejados doces, de resto mais do que a caixa podia conter. Que magia ou milagre dos doces foi este então...?

Os Milagres dos Faquires
«Faquir» era, originalmente, a palavra árabe que significava o místico islâmico que andava a pedir. Mais tarde passou a indicar Ascetas - monges pedintes e Iogues detentores de poderes fora do normal.
As histórias de homens santos, Iogues e Faquires milagrosos são inúmeras no Oriente, especialmente na Índia. Em 1934, um Iogue bebeu vários ácidos à frente de um grupo de investigadores da Universidade de Calcutá sem quaisquer consequências para a saúde.

Os Truques dos Charlatães
Embora podendo parecer muito impressionantes, muitos destes acontecimentos não passam de manipulações. Os Iogues espiritualmente avançados não têm qualquer interesse em demonstrar publicamente os seus poderes; lamentavelmente, os charlatães e os «falsos santos» fazem truques imitando os verdadeiros fenómenos.
Um pseudo-Iogue tira, por exemplo, da boca um fio de vários metros que supostamente se lhe formou no organismo de algum modo enigmático - à semelhança de ilusionistas. Depois, enterra pomposamente um caroço de manga, tapa-o com um pano e murmura uma fórmula. Puxa então o pano e aparece uma mangueira de 40 centímetros de altura. A maioria dos charlatães indianos conhece o truque, que pertence ao seu repertório habitual.

Investigações de um Parapsicólogo
O parapsicólogo indiano Ramakrishna Rao foi, durante muitos anos, director do prestigiado Institute for Parapsychology de Durham, nos EUA. Na década de 1970, passou muito tempo na Índia procurando homens milagrosos, supostamente detentores de poderes paranormais. Muito poucos se mostraram então dispostos a exibirem os seus maravilhosos dons perante uma ciência crítica. Os que o fizeram, foram depois apanhados por R. Rao em flagrante manipulação. Tais resultados são uma desilusão!
As histórias sobre Iogues e Faquires Indianos devem ser ouvidas com grande cautela. Muitos seguidores dos homens considerados santos, acham impossível que um «Swami» (que literalmente significa «Senhor» e é ou pronunciado antes do nome dos monges ou usado como título honorífico dos Mestres Espirituais) divino, empregue tais truques. E é assim que surgem então as muitas histórias de fenómenos extraordinários, que raramente resistem ao exame científico.

O Aparecimento do Linga Divino
Em ocasiões especiais - sobretudo na noite do nascimento do deus Shiva (Shivaratri) - uma festa móvel, normalmente celebrada em Fevereiro ou Março, os crentes reúnem-se no templo para aí assistirem a fenómenos espantosos.
As adolescentes são subitamente possuídas por Deus e «os homens santos» levam a cabo um ritual curioso: Afirmam que, uma pedra lisa em forma de ovo, o símbolo do deus Shiva (Shiva-linga), crescerá dentro de si como uma criança no ventre da mãe. Por ocasião das festividades, exibem a pedra na boca perante os espectadores atónitos. Imitando os Iogues, os charlatães indianos fazem este truque na perfeição!

Mas há poderes inexplicáveis ainda, mesmo para a comunidade científica mundial. Um deles, está relacionado com o isolamento ou total anulação da dor. Com ganchos espetados na carne, existem Iogues que puxam carroças na região de Tamil Nadu. Embora esteja provado cientificamente que, o cérebro de cada um atribui um valor diferente à dor, esta demonstração de evidente insensibilidade - que o Iogue só consegue controlando a sua mente - parece um milagre!...
Milagre, magia ou pura concentração, o certo é que para o Ocidente ainda é uma enorme interrogação toda esta ocorrência física e mental de Iogues e Faquires Indianos. Restar-nos-à então acrescentar que muito haverá ainda por desvendar também na solvência dos dias e, de um maior conhecimento a nível global e, em cada um de nós em sua própria consciência e cultura. Que a bem dessa cultura e de toda a Humanidade assim se possa continuar a ser e...a a desenvolver na condição humana de tudo nos ser facultado! Assim seja então!