Translate

quarta-feira, 9 de abril de 2014

A Cabala Judaica


Árvore Sefirótica da Cabala Judaica

Que ensinamentos secretos e esotéricos da cultura judaica são esses que Moisés recebeu no Monte Sinai, para além das tábuas com os dez mandamentos? Serão de facto estes os caminhos a serem percorridos pelo ser humano em sentido ascendente no longo processo da evolução para a perfeição?

Cabala - O Misticismo Judaico
De acordo com um mito inscrito no Talmude, que juntamente com a Bíblia constitui a obra fundamental do Judaísmo, o profeta Moisés terá no bíblico Monte Sinai - para além das tábuas com os 10 mandamentos - recebido também outros ensinamentos secretos. Apenas os chamados «70 anciãos», um conjunto de anciãos do povo judeu que Moisés convocou, tiveram acesso ao teor desses ensinamentos. Foi a partir daí que se desenvolveu a Cabala - uma série de ensinamentos secretos e, esotéricos, da cultura judaica.
Na verdade, porém, a tradição oral relativamente à Cabala não começou nos tempos do Antigo Testamento, mas sim por volta do século I da Era Cristã. A forma concreta que a Cabala apresentava quando começou a exercer uma forte influência sobre a tradição ocultista na Idade Média e, no Renascimento, apenas se desenvolveu no século XII.

Processos Cabalísticos
O termo Cabala vem de «quabal», uma palavra do hebraico que significa «recebimento». Os cabalistas designavam-se a si mesmos como «conhecedores da sabedoria oculta» (chochma nisteret). Referiam-se através dessa expressão à sua capacidade de decifrar o sentido oculto dos 5 livros de Moisés. Estavam convencidos que nesses textos se escondiam mensagens secretas que poderiam ser entendidas, mediante a aplicação de determinadas técnicas. Uma vez que as letras hebraicas possuem valores numéricos e que em princípio só as consoantes são escritas, é efectivamente possível, através da aplicação de métodos com nomes tão enigmáticos como gematria, notarikon e temura, chegar a múltiplos e novos significados.

Os Ensinamentos da Cabala
De acordo com a Cabala, o deus En Sof (O Infinito), escondido numa inacessível escuridão, revela-se em todo o mundo através das suas emanações. As possíveis manifestações de Deus são chamados «sefirotes». Esta palavra constitui o plural de «sefer», que serve para designar o conjunto dos números de um a dez.
As referidas manifestações são então dispostas num arranjo, numa sequência que constitui o símbolo central da Cabala, a chamada «Árvore Cabalística». Esta apresenta os 10 sefirotes como esferas místicas das forças divinas e, é uma representação metafórica do ser humano divino e perfeito, em hebraico «Adam kadmon». De acordo com a crença cabalística, o conjunto de todas as 22 letras do alfabeto hebraico e dos valores numéricos das 10 primeiras, possui um extraordinário poder criador.

Gematria - Notarikon - Temura
Na Gematria - o valor numérico de determinadas palavras é determinado pela soma dos algarismos a que cada letra dessa palavra corresponde. Palavras diferentes com o mesmo valor numérico são vistas como estando em íntima relação umas com as outras. As 4 letras que formam o nome de Deus, (JHVH), correspondem aos algarismos 10, 5, 6 e 5, que todos somados perfazem 26. Este valor serviu de ponto de partida para numerosas operações mágicas e, especulações místicas.
Com a técnica designada Notarikon - a partir das letras iniciais de cada palavra de uma frase é formada uma nova palavra. A essas palavras era atribuído um poder mágico, chegando mesmo a ser gravadas em talismãs.
A técnica cabalística chamada Temura - consiste em considerar as palavras hebraicas como sendo anagramas. É trocada a ordem das letras de uma palavra, daí resultando a formação de novas palavras.
Na opinião dos cabalistas, estas novas palavras seriam portadoras da mensagem oculta de um texto. Os diversos processos cabalísticos - juntamente com a Magia, a astrologia e a Alquimia - foram pelo filósofo e teólogo alemão Heinrich Cornelius Agrippa von Nettesheim (1486-1535) usados como base para a sua arrojada síntese das ciências ocultas, intitulada «Da Filosofia Oculta».

Escritos Fundamentais
O acesso à Cabala é feito mediante a leitura de textos pouco sistemáticos e, em parte bastante desconcertantes. «Bereshit», assim chamado de acordo com a primeira palavra do Antigo Testamento, significa «no princípio» e reúne a teoria da criação e, as leis subjacentes à criação.
«Merkaba» - o veículo através do qual Deus faz chegar a sua mensagem ao ser humano, trata da natureza de Deus e do modo como a revelação é recebida pelo ser humano. Estas duas primeiras partes são tratadas nos livros «Sepher Yetzirah (O Livro da Criação) e «Sepher Zohar» (O Livro do Esplendor).
O Zohar - um compêndio de Filosofia cabalística e simultaneamente o escrito mais importante da Cabala, contém a Criação, os segredos da Alma, da Reencarnação e do Mundo vindouro, bem como informações acerca de «Adam kadmon», o ser humano primordial, e uma representação de 7 palácios celestes. A ideia central é o facto de ser impossível reconhecer a origem, a causa primária de Deus, bem como a revelação gradual das suas emanações.

O Sistema de Sefirotes e o seu Significado
1 - KETHER - Elion, a coroa mais alta da divindade. Nome de Deus correspondente: EHIEH (Eu Sou). Pai da Compaixão.
2 - HOCHMAH - A Sabedoria ou ideia primordial de Deus. Nome de Deus correspondente: JH (JAH: o nome abreviado). O filho primogénito. Princípio.
3 - BINAH - (Inteligência) - A Inteligência de Deus que se revela. Nome de Deus correspondente: JHWH (lido como Elohim). O Espírito Santo. Conversão, penitência.
4 - CHESED - A Misericórdia de ou Gedullhah, a Grandeza de Deus. Nome de Deus correspondente: EL (Deus). Patriarca Abraão. Ceptro. O Deus compassivo. Misericórdia. Braço direito, mão direita. Elemento da água. Meio-dia.
5 - GEBURAH - A Força ou Din (Tribunal), o poder (punitivo) de Deus. Nome de Deus correspondente: ELOHIM (Deus). Patriarca Isaac. Espada. O Deus justo. Castigo, temor. Braço esquerdo, mão esquerda. Elemento do fogo. Meia-noite.
6 - RACHAMIM - A Compaixão de Deus ou Tipheret, o Amor (a sua beleza). Nome de Deus correspondente: JHVH (Tetagrama). Patriarca Jacob. Nascer do Sol, luz. Reconhecimento, árvore da vida. Linha do meio, o tronco. Elemento do ar. Metais e minerais.
7 - NETZAH - (Vitória) - A Constante permanência de Deus. Nome de Deus correspondente: ZEBAOTH (Senhor das Hostes). Cálice do consolo. Pé direito, perna direita. A Natureza verdejante. O pilar Jachin.
8 - HOD - (Louvor) - A Majestade de Deus. Nome de Deus correspondente: ELOHIM ZEBAOTH (Deus das Hostes). Cálice da ira. Pé esquerdo, perna esquerda. A Natureza animada (que respira). O pilar Boaz.
9 - YESOD - (Fundamento) - A Razão de todas as forças geradoras de Deus. Nome de Deus correspondente: EL CHAI (o Deus vivo) e EL SHADDAI ( o Deus todo-Poderoso). ZADDIK (o justo). O monte Zion.
10 - MALKHUT - (Soberania) - O Reino de Deus. Nome de Deus correspondente: ADONAI (Senhor) e MELECH (Rei). Schechinah: a Morada de Deus em Israel. Tabernáculo (Tenda do encontro com Deus). Reunião de Israel. Bênção. A casa de David. Elemento da terra.