Translate

quinta-feira, 29 de maio de 2014

A Grande Metrópole


A Caaba em Meca                             Arábia Saudita

«O homem estava transido de medo. Fosse para onde fosse que dirigisse o olhar no crepúsculo da manhã, via sempre a figura de um Anjo no horizonte. Uma voz abalou o seu âmago: "Foste escolhido para profeta!"»                                                      - Arcano Gabriel a Maomé -

Quem foi Maomé - que com a sua mensagem - teve influência sobre o destino de milhões de pessoas de todas as nações e, mediante o qual o Islão, se tornou uma das grandes religiões do mundo? E que poderes terá de facto esta Pedra Negra - Pedra Sagrada - que todos veneram e consideram divina?

Meca - O Coração do Islão
O Fundador da Religião - Maomé, que mais tarde veio a fundar o Islamismo, começou por rejeitar aquela revelação divina. Só quando o Arcano Gabriel lhe apareceu uma segunda vez é que se compenetrou do seu destino. O acontecimento que transformou um homem simples em mensageiro de Deus e fundador do Islão - uma das comunidades religiosas mais poderosas do mundo - ocorreu no ano 610 na Arábia Saudita, nas proximidades da velha cidade de Meca, importante centro de comércio. De acordo com a tradição, a partir de então Maomé prega que «não há mais nenhum Deus para além de Alá».

Alá é Grande (Allah Akbar)
Alá é o criador do mundo e o Todo-Poderoso. Assim está escrito no Alcorão - que Maomé escreveu sob indicação do Arcanjo Gabriel (ou ser estelar...?) e, onde está contida a revelação divina.
A rica metrópole comercial de Meca transformou-se assim no pulsante coração do Islão. O próprio Maomé lhe modificou a face em nome da sua nova fé e, declarou-a um centro de convergência, pois foi aí que recebeu as primeiras revelações divinas e aí terá também existido a primeira igreja da Humanidade, erigida por Abraão, o patriarca bíblico.

A Sagrada Caaba
No Islão, todos os crentes - tanto homens como mulheres - devem pelo menos uma vez na vida empreender a chamada «hadj» - uma peregrinação a Meca.
O objectivo dessa viagem de peregrinação e simultaneamente centro de toda a fé, é a Caaba - um edifício em forma de cubo no interior da Grande Mesquita. Aí está depositada - no canto sudoeste da Caaba - a Pedra Negra Sagrada, a «Al-Hadjar al-Aswad».
Este objecto enigmático - que muitos tomam como sendo um meteorito e do qual se supõe haver propriedades de urânio e radiações diversas - fora já objecto de culto de tribos pagãs em tempos pré-islâmicos. Para os muçulmanos, porém, constitui um resquício dos tempos primordiais de Adão. Terá supostamente caído do Céu, outrora - e ainda hoje é vista como um elo de ligação, um símbolo da união entre o Criador e, as suas criaturas: o ser humano!

Metrópole do Mundo
Os Muçulmanos prostram-se cinco vezes por dia na direcção de Meca. A «Mãe das Cidades» fica situada num planalto bastante despojado e atrai todos os anos centenas de milhares de peregrinos.
Em vagas humanas em contínuo movimento, os fiéis circulam em redor da Caaba e no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio; aproximam-se depois, respeitosamente e em oração, do santuário - que, com a suas paredes de 15 metros de altura - impõe a sua presença maciça no pátio interior da Grande Mesquita.
A dois metros de altura encontra-se uma moldura oval prateada, através da qual o fiel pode tocar os lábios na Pedra Negra. A não muçulmanos, é até aos dias de hoje, completamente proibido o acesso a Meca.
Também um exame mais aprofundado da Pedra Negra, permanece até à actualidade algo de impossível de levar a cabo. Reza a lenda que, quem profanar a pedra desse modo, terá de pagar com a própria vida.

O Mensageiro de Deus
Sobre Maomé ainda, há e haverá sempre algo de muito enigmático também sobre a sua origem e, a sua propagação de fé em crença islamista. Que mensagem tão influente foi esta então, que o terá levado a requisitar milhares de seguidores que, nos dias de hoje, se difundem já por cerca de 1000 milhões por todo o mundo? Vamos elucidar então a sua origem.
Maomé nasceu por volta do ano 570 em Meca, tendo ficado órfão de pai e mãe desde muito cedo. Um avô e um tio tomaram-no a seu cargo. Aos 21 anos Maomé obteve um emprego a trabalhar para uma importante negociante negociante chamada: Khadidja.. Como caravaneiro, viajou o jovem Maomé em negócios até à Síria, sendo mais tarde escolhido por Khadidja para administrar os seus negócios.
Aos 25 anos Maomé casou com ela - que era quase quinze anos mais velha. Passados outros quinze anos, Maomé tornou-se fundador de uma das religiões mais importantes do mundo. Por proclamar o monoteísmo em Meca, que era pagã, teve de fugir em 622 para Medina - sendo a partir daí que, empreendeu uma luta contra o politeísmo pagão até pouco antes da sua morte, ocorrida a 8 de Junho de 632.

Muitas questões são hoje em dia levantadas sobre a dimensão - não da crença religiosa - mas, da verdadeira dimensão desta exemplar Pedra Negra que se supõe da esfera estelar em meteorito alcançado na Terra. Propriedades minerais cósmicas ou divinas, o certo é que se mantém na actualidade essa mesma dúvida existencial sobre o que se não pode verificar por meios científicos. Respeitar-se-à efectivamente essa analogia de Pedra Sagrada e, pedra intocável por mãos de investigadores e estudiosos da matéria. No entanto, lamenta-se que assim seja, pelo tanto que haveria por descodificar e, futuramente revelar ao mundo sobre a verdadeira proveniência desta miraculosa Pedra Negra de veneração em Meca. Seja como for, há que lembrar que Maomé - como ser escolhido pelo Arcano Gabriel - terá sido mais um veículo e mensageiro na Terra de Deus em ordem e seguimento. Arcanjo Gabriel ou...ser estelar, digno desse ou outro nome no imenso cosmos de um Universo infinito (ou finito, segundo alguns...) de carisma e essência profundamente reveladora, bela e...por certo audaz na reiteração havida - e cingida em Maomé - de uma regra a estabelecer, a seguir, a venerar e...a impor ao mundo.
Todas as crenças, as religiões, as ordens do espírito ou do Universo serão sempre bem-vindas, se o Homem assim quiser, assim aceitar e assim o desejar...pois só assim evoluirá. Até mesmo na descrença, no cepticismo, no paganismo ou na total acefalia destes novos tempos se assim se determinar também, pelo muito que terá ainda a aprender, a deixar-se receber, a deixar-se imunizar pelos ódios e pela aversão visceral da alma que a idade contemporânea nos remete. Mas há sempre escolha, opção e livre arbítrio para o que se decide fazer na nossa vida. Apenas há que seguir um caminho e se for do bem...então a luz virá! A Humanidade carece de luz! Carece de muita coisa que, a seu tempo, recrudescerá! Pelo bem da Humanidade em todo o seu esplendor, seja qual for a religião ou credo por que nos regemos, assim possa ser através dos tempos em continuidade e, elevação. Assim seja então!