Translate

quarta-feira, 21 de maio de 2014

A Energia de Externsteine


Rochedos de Grés - Externsteine - Renânia do Norte-Vestefália                       Alemanha

Será este o ponto de confluência do princípio terrestre e do princípio celeste, divino, superior, entre o microcosmos e o macrocosmos? Terá sido então - para o seu povo e talvez também para um seguidor estelar - um antigo Observador Astronómico que lhes revelasse todo um conhecimento astronómico e, cósmico? E que ligação poderá este possuir em relação a Stonehenge?

Externsteine - Um Local de Culto Germânico
Num vale da floresta de Teutoburgo, pouco antes da pequena localidade de Horn, perto de Bad Meinberg, na Alemanha, fica situado um bizarro e monumental conjunto de rochedos cujo antigo significado - ainda hoje - não está inteiramente esclarecido: os Externsteine.
Certos arqueólogos consideram estes rochedos de grés - formados há muitos milhões de anos em consequência de uma erupção - um antigo local de culto dos Germanos, que por sua vez haviam já herdado essa tradição de culto dos seus antepassados da Idade da Pedra.
Os muitos visitantes que todos os anos acorrem a este lugar, ao subir aos rochedos que medem entre 7 e 30 metros de altura - que em parte estão escavados e não acessíveis através de escadas e até uma pequena ponte - talvez não se dêem conta de estar a pisar solo sagrado.
Ainda no século XVIII era dado à Floresta de Teutoburgo o nome de Osninghain, o «Bosque dos Deuses».
Escavações arqueológicas realizadas no século XIX - nas imediações - trouxeram à luz do dia diversas fortificações germânicas, desde circunvalações a fortalezas. Os historiadores estão, por isso, convencidos que têm diante de si um local sagrado de importância central para os Germanos.

O Fim do Comandante Varo
A confirmar esta teoria está também o facto de, este local, estar situado em pleno território de fronteira de 9 diferentes tribos germânicas; situação geográfica essa que, no ano 9, veio a envolver Armínio - o chefe dos Queruscos - um povo germânico, numa pesada batalha contra os Romanos.
Após uma derrota sangrenta, o comandante Varo - outrora o Governador do território germânico - lançou-se sobre a sua própria espada.
Após a missionação da Europa, a região onde se situam os Externsteine tornou-se um centro de culto cristão e, uma gruta denominada Sacellum, foi transformada em capela. Os visitantes mais atentos poderão observar, por baixo de um relevo esculpido na rocha que representa a deposição de Jesus da cruz, uma representação já muito corroída pelo tempo de um culto de fertilidade de tempos quase pré-históricos: um homem e uma mulher que são engolidos por um dragão.

Antigo Observatório Astronómico
Vestígios de que a pequena capela poderá no tempo dos Germanos - e possivelmente também já na Idade da Pedra - ter sido uma espécie de Observatório Astronómico, ainda hoje são visíveis.
Através de um buraco circular e um sistema de orientação que lhe corresponde, podem assim ser determinados os solstícios de Verão e, as posições mais setentrionais da Lua.
Walter Machalett, especialista em Geomancia, atribui e reconhece aos Germanos e aos seus antecessores, conhecimentos aprofundados de Matemática, de Astronomia e dos fenómenos cósmicos - cujas simbologias podem ser descortinadas nos conjuntos megalíticos do Norte da Europa.
W. Machalett traçou num mapa uma linha que ligava os Externsteine, a pirâmide de Khufu no Egipto e Salvage nas Ilhas Canárias que, para muitos investigadores dos assuntos da Atlântida, constitui uma das colunas de sustentação do Continente perdido. Daí resultou um triângulo isósceles clássico, com um ângulo de exactamente 51* (graus) 51`14,3´´. Também na planta da cidade de Karlssruhe e na Catedral de Aachen, terá Walter Machelett demonstrado a existência de um desses triângulos. Além disso, os Externsteine e a velha cidade imperial, ficam exactamente situados sobre o grau de latitude 51, de relevância para a Geomancia - pois é nele que fica também situado o recinto de Stonehenge!

Micro e Macrocosmos
"Um local de culto como os Externsteine possui uma energia extraordinária!" - Refere-nos assim o doutor Jens M. Moller (1937-2000), especialista em Geomancia de Karlsruhe. Afere ainda: "Estamos aqui perante um ponto de confluência do princípio terreno e do princípio celeste, divino, superior, entre o microcosmos e o macrocosmos, como ensinava o grande mestre egípcio Tot (ou Hermes Trimegisto, como mais tarde os Gregos lhe chamavam)."

Os Ouvidos da Terra
O orientador do seminário David Luczyn vai percutindo o tambor. Apoiados por esse ritmo monótono, os homens e mulheres que integram o seu grupo, empreendem uma excursão pelo mundo desconhecido da sua própria alma. Cada um deles, um após outro, se vai deitando numa espécie de sarcófago esculpido na rocha que se assemelha ao da câmara real da pirâmide de Khufu (Quéops).
Vão-se então dessa forma sucedendo imagens provenientes do mais profundo das suas consciências, mensagens enviadas a partir de esferas da sua personalidade - que de resto não estão acessíveis - sensações há muito esquecidas regressam assim à superfície. Alguns riem, outros choram.
Certas pessoas querem partilhar as suas experiências, ao passo que outras se mantêm em silêncio. Cada um dos intervenientes vive esta experiência espiritual de maneira diferente, no centro da qual está ele mesmo.
As pessoas que se encontram nos Externsteine dão-se assim conta do poder místico do lugar, onde já os seus antepassados estabeleciam contacto com as energias de Gaia - a deusa grega da Terra.
Os Xamãs dão a esses lugares o nome de «Ouvidos da Terra», nos quais os níveis de consciência dos indivíduos são fomentados.

Extraordinária energia que se reflecte então nos demais, que este enigmático local visitam. Que se poderá acrescentar perante tamanha lucidez em maior consciência e sentidos havidos sobre este poderoso lugar de culto e introspecção? Terá sido o local exacto em que todas as forças se conectam entre a Terra e o Céu, entre o divino e o superior, entre o microcosmos e o macrocosmos como alvitra em profundidade Jens Moller, aquando desse mesmo local teve consciência? E que diremos nós, se Externsteine nos for igualmente sentido em protuberância íntima e, pessoal, se disso tivermos ocasião de aprofundar de igual forma...?
Externsteine em seio e solo germânicos, será talvez, um dos últimos (ou primeiros...?) redutos estelares que, na Terra, se terá implantado em energias e poderes incomparáveis, dignos de algo superior certamente. Equidistantes não ficaremos nós, se entretanto o soubermos interiorizar em maior e mais pura consciência do muito que ainda estará por descobrir, por desvendar e, por dar à luz de um maior e mais vasto conhecimento humano, sobre estas incríveis energias geo-estratégicas terrestres que, um dia, algo ou alguém incutiu no nosso planeta Terra em ancestralidade e desenvolvimento. Que a verdade se assuma e todos possamos corroborar e partilhar sobre a mesma - em corpo e espírito - de uma nova consciência terrestre! Pois que a bem da cultura, do conhecimento e...da Humanidade, assim seja então!