Translate

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A Pirâmide Branca



Haveria entre as grandes culturas ancestrais uma transmissão de ideias que até hoje não se sabe nada?
China, possuidora da maior pirâmide do mundo na Ásia, que segredos esconde e que revelações nos poderá ofertar por tamanha riqueza arqueológica e histórica?

A Pirâmide Branca da China
Corre o ano de 1945. Os últimos dias da Segunda Guerra Mundial também amanheceram na longínqua Ásia. Unidades especiais do Exército dos EUA observam a China a fim de reconquistarem os territórios ocupados pelas tropas japonesas. O tenente James Gaussman, da Força Aérea dos EUA, entra no seu monolugar para inspeccionar a cordilheira de Qin-ling-shan, a sudoeste de Xi`an.
O seu voo de reconhecimento leva-o aos vales desta serra, no centro da China. De repente, o jovem piloto não acredita nos seus olhos: uma pirâmide colossal ergue-se na superfície. Tratar-se-à de uma ilusão óptica? Além do Egipto e da América Latina, também haverá pirâmides no Império do Meio?

China Desconhecida
A informação que o aviador deu quando regressou à base, ainda hoje é sensacional: "Rodeei uma montanha e cheguei a um vale plano. Directamente abaixo de mim erguia-se uma gigantesca pirâmide branca, envolta num brilho claro, quase irreal. Pareceu-me que era de metal ou de uma pedra muito estranha. Sobrevoei várias vezes o colosso branco-prateado. O que mais chama a atenção é a ponta: um grande pedaço de metal parecido com uma pedra preciosa. Fiquei profundamente impressionado com as suas dimensões e tive vontade de aterrar, mas era impossível. De uma coisa tenho a certeza: esta construção não é uma instalação militar moderna!"

Monumento Gigantesco
Ao princípio, o comando militar não deu crédito a esta descoberta de uma pirâmide que parecia saída de um conto de fadas, mas teve de pensar duas vezes ao analisar as fotografias da câmara de bordo, que mostravam claramente a enorme construção, embora nada indicasse para que servia. O seu exame demonstrou o que o tenente Gaussman já dissera: a construção de pedra tinha 300 metros de altura e uma base de 490 metros de lado. A título de comparação, a pirâmide de Khufu, a maior do Egipto, tinha originalmente «apenas» 146,94 metros de altura e uma base com 230,38 metros de lado; ou seja, o seu tamanho era metade do da pirâmide da China. Portanto, a maior pirâmide do mundo encontra-se na Ásia.

China, o País das Pirâmides
Existem na China mais pirâmides do que no Egipto. Centenas delas povoam a região entre as grandes cidades de Xi`an e Xianyang. O mundo inteira-se gradualmente da existência destes imensos tesouros arqueológicos - pouco conhecidos até na própria República Popular da China - pois que se encontram em zonas militares ou, muito afastadas de locais habitados.

Túmulos Solares
Em 1991, quando se tentava determinar o local de construção de um novo aeroporto perto da cidade de Xi`an, descobriu-se inúmeras pirâmides. Estes «túmulos solares» erguem-se nos campos a 40 metros de altura. À semelhança de muitas pirâmides da América Central, não terminam em vértice; ou seja, são truncadas. Perto de Xianyang, as pirâmides, quase sempre em grupos de quatro ou cinco, medem 50 metros de altura. Como ainda não se fizeram quaisquer escavações até ao momento, só podemos supor que talvez existam grandes espaços ocos no seu interior, hipótese que é corroborada pela existência de terraços desmoronados. Algumas delas, datam da dinastia Han (206 a. C.-220 d. C.) e são a última morada do seu fundador, o imperador Liu Bang, e de outros onze soberanos Han.
Duas delas foram construídas durante a dinastia Tcheu, que reinou há 3000 anos. Ainda mais antiga é a pirâmide do imperador Shao-Hao, filho do lendário «Imperador Amarelo», que reinou por volta de 2600 a. C. no Império do Meio. Perto da cidade de Qufu - no meio de um grande parque - brilha uma estrutura de pedra branca de 18 metros de altura e 28 metros de largura, coroada por um pequeno templo. No seu interior encontra-se o imperador Shao-Hao, que, tal como os faraós egípcios, se considerava filho dos deuses.

Dados Incríveis
O arqueólogo Wang Shiping, de Xi`an, demonstrou os profundos conhecimentos que deviam ter os construtores das pirâmides. Em 1994, foram descobertas várias pirâmides numa zona militar, a 30 quilómetros da sua cidade. Uma delas, encontra-se exactamente no centro geométrico de todos os continentes, o que pressupõe o conhecimento da forma esférica da Terra e, a distribuição das massas terrestres. O professor Wang defende também que, a orientação das pirâmides, está relacionada com a posição das estrelas; ou seja, que obedece aos ensinamentos ancestrais do «feng shui», que por sua vez parte de uma geomancia sacralizada, princípio este que provavelmente dominou a construção das pirâmides egípcias e, dos monumentos de pedra do Norte da Europa e da Grécia.
Se estas hipóteses se confirmarem, avizinham-se grandes descobertas quanto aos conhecimentos dos povos antigos.

Um Fenómeno Global
Impõe-se então a questão: haveria entre as grandes culturas ancestrais uma transmissão de ideias de que até hoje não se sabe nada? É curioso o facto de a cidade imperial de Shao-Hao chamar-se Qufu, cuja pronúncia é idêntica à do nome do faraó egípcio Khafré, que mandou construir uma segunda pirâmide gigantesca ao lado da de Khufu, na mesma época da chinesa. Está demonstrado que, há 2500 anos, a via comercial mais conhecida da História, a Rota da Seda, com 6500 quilómetros, permitia o intercâmbio de ouro e vidro por seda , entre o Império Han e o Império Romano. Não é portanto impossível que tenha havido outros contactos. A sua demonstração é, no entanto, tarefa de futuros investigadores.

Secretismo
Durante quarenta anos, o público não soube nada da sensacional descoberta da pirâmide branca. As fotografias e o relatório do voo foram declarados segredo militar. Mesmo assim, em Março de 1947, apareceu no New York Times um artigo de Maurice Cheahan, antigo coronel do Exército dos EUA. Também ele descrevia um voo sobre a enigmática pirâmide da cordilheira de Qin-ling-shan.
O autor australiano Brian Crowley refez esta viagem em 1986 e conseguiu obter uma fotografia do voo de observação, guardada no arquivo militar dos EUA, onde se vê uma pirâmide com estrias de erosão paralelas, que dão uma ideia clara da antiguidade da construção.

Por conclusão: as pirâmides brancas, pontiagudas e rombas, foram construídas na China no Império do Meio, antes dos monumentos funerários egípcios. Até agora, estudaram-se muito poucas. De resto, várias delas só foram descobertas no século XX. Além de pirâmides, encontram-se inúmeros monumentos culturais nos arredores de Xi`an na província chinesa de Shaanxi. Um deles, é o Pagode do Pequeno Ganso Selvagem, construído entre 618 e 907 d. C., durante a dinastia Tang.
Visto que a «Pirâmide Branca» - da qual só existe o misterioso material da década de 1940 - e, não tendo sido ainda estudada, os investigadores concentram-se nas outras pirâmides que existem então nos arredores de Xi`an, que são mais pequenas mas também mais acessíveis. Esta construção truncada é especialmente interessante. A sua forma e altura (60 metros) lembra a Pirâmide do Sol de Teotihuacán, no México.

Estariam de facto todas interligadas cultural e similarmente numa confluência estelar que as reuniria a todas numa só determinação? Que civilizações foram essas que povoaram a Terra de pirâmides gigantescas em imponência e compleição suas de toda uma construção ainda hoje por nós desconhecida? Que inteligência, tecnologia e poder supremo teriam havido entre si no que agora, na actualidade, só nos resta observar e lamentavelmente questionar (e mesmo extrapolar) no tanto que nos é sonegado destas obras maravilhosas de dinastias e séculos atrás? Haverá a imposição histórica que faça quedar e mesmo, quebrantar, espíritos mais benevolente e abertos na consciência do conhecimento humano tanto na China como pelo resto do mundo na investigação e estudo destes magnânimos monumentos que a própria História nos concerne e reedifica em novo pensamento? Oxalá que sim. Que aja nova abertura e novo consenso sem barreiras políticas, militares ou outras que nos cerrem o conhecimento e, a verdade histórica da Humanidade. Assim seja então! A bem de todos!