Translate

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A Misteriosa Extinção


Kiva dos Anasazis - Cliff Palace - Colorado (USA)

Será que houve um êxodo em massa na sequência de sequestros ou permanentes raptos dos Anasazis, perpetrados por extraterrestres ou civilizações estelares? Ou, à semelhança de Maias e Aztecas, essa igual extinção dos quais não há vestígios de ossadas e esqueletos humanos, terem sido simplesmente trasladados para outro planeta, outra galáxia ou mesmo, num outro sistema solar por mão desses visitantes estelares?

Anasazis - Uma Amizade com o Mundo dos Espíritos
Os adeptos do esoterismo são da opinião que os Anasazis terão em determinada altura da sua história, sentido «energias negativas» e que por isso, terão decidido mudar-se para outras paragens.
Efectivamente à medida que estas comunidades de aldeia se iam tornando maiores, ia-se desenhando no povo que nelas habitava, uma maior propensão para a espiritualidade e para encontros e reuniões de carácter religioso. No centro da aldeia estavam as Kivas, espaços comunitários subterrâneos e, redondos, cobertos com um telhado de madeira. O acesso era feito por um buraco no centro do telhado que servia também para libertar o fumo que se formava no interior, como consequência da fogueira que ardia na kiva. Junto à fogueira havia um «sipapu», uma pequena cova no chão. Acreditava-se ser daí que surgiam os espíritos dos antepassados. O «sipapu» era também uma espécie de canal de comunicação com esses espíritos. Frente ao sipapu havia um género de poço de ventilação, a que era dado o nome de «túnel dos espíritos» e que muito possivelmente deveria servir também para contactos com o outro mundo.

O Ser Humano e a Religião
Uma boa relação com os espíritos e, os deuses, era de grande importância para os habitantes destas comunidades nas escarpas dos rochedos, uma vez que tanto na vida como na morte, estes dependiam do que a Natureza tinha para lhes oferecer. Os investigadores presumem que, na fase final da existência dos Anasazis, foram construídas muitas Kivas porque estava a tentar-se apaziguar e conquistar o favor da divindade responsável pelas chuvas.
No decurso de investigações sobre o clima nesta região descobriu-se que, por volta de 1100 d. C. se instalou uma seca de proporções catastróficas. Na concepção religiosa dos habitantes primitivos da América do Norte, o Grande Espírito, foi quem presidiu à criação. A manutenção e conservação dos resultados desta criação está entregue a deuses e, a espíritos elementares, que respondem perante o comandante supremo, o Grande Espírito. Sob o domínio dos deuses, os índios reconheciam (e ainda hoje reconhecem) elementos como a Terra, o Sol, o Verão, o Inverno, o Raio, o Relâmpago e também a Chuva, possivelmente a razão para a decadência dos Anasazis.

Xamãs - Intermediários com o Mundo dos Espíritos
Os Xamãs funcionavam como intermediários entre os membros das tribos e, o mundo dos espíritos, assumindo o papel de autoridades mágicas e religiosas. Em oposição a um sacerdote ocidental, o seu conhecimento não é obtido a partir de uma teoria perfeitamente definida, mas sim de uma experiência e uma pesquisa dolorosas. A relação entre o Xamã e o mundo espiritual é uma manifestação religiosa de carácter individual. Através de uma aparição ou encontro visionário, o Xamã sente-se investido de poderes. O modo como decorre esse primeiro encontro do Xamã com os espíritos, ajuda-o a criar e a perpetuar o seu próprio mito, passando a ser respeitado e venerado pelo seu próprio povo.

O Fim de um Povo
Não se encontram vestígios da presença dos Anasazis em Mesa Verde e outros locais ao longo dos grandes canyons a partir de meados do século XIII. Se bem que muitos investigadores vejam na carência de chuva, a razão para o desaparecimento dos Anasazis e que, partam do princípio de que este povo se limitou a mudar para outras paragens, mantendo-se o mais próximo possível dos canyons.
O casal de bioarqueólogos Christy e Jacqueline Turner, da Arizona State University defendeu - após uma aprofundada investigação de diversos esqueletos dos Anasazis - que o desaparecimento deste povo das suas habitações nas escarpas dos rochedos era consequência de uma guerra em que haviam sido praticados actos de canibalismo - pois ao que parece, muitos dos ossos investigados indiciam vestígios desse tipo de práticas. Talvez esses ossos serrados - que os Turner encontraram - resultem apenas de sacrifícios humanos em honra da divindade responsável pelas chuvas.
Não é possível afirmar com toda a certeza, qual das duas suposições estará mais próxima da realidade, elaborando-se por conseguinte uma outra e ainda mais misteriosa tese de: rapto ou sequestro alienígenas. E, sermos-íamos especulativos ou mesmo caluniosos - ao aventarmos esta hipótese extraterrestre - sem qualquer base que se sustentasse por si, o que não é o caso. Existem razões - algures, ainda no desconhecimento geral - que apontam para essa igual hipótese, teoria ou tese mirabolante mas razoável de algum crédito na substantiva ou cumulativa em argumentação de civilizações extraestelares os terem transportado para outros planetas numa outra vivência extraplanetária.
O desaparecimento dos Anasazis constitui mais um dos mistérios da História Universal e, tal como todos os mistérios, também os Anasazis dividiram as opiniões dos especialistas.

Os Hopis - A Herança dos Anasazis
Os índios Hopis são considerados os descendentes dos Anasazis, uma vez que se encontram vários aspectos comuns a ambas as culturas. Do modo de vida e de pensar dos Hopis, podem hoje ser retiradas algumas conclusões acerca da cultura dos Anasazis. Durante vários séculos o cuidar das terras foi a base económica da vida dos Hopis, que se regulavam pelas diferentes estações do ano, orientavam-se pelas estrelas, mas sobretudo pelo Sol e, pela Lua.
Ainda hoje a vida dos Hopis, muito ligada às tradições, assenta num profundo respeito pela Natureza. Acreditam na existência de uma alma e assim numa mútua influenciabilidade de tudo o que existe. O centro da vida nas aldeias são as Kivas, as cãmaras cerimoniais subterrâneas, que também os Anasazis possuíam. Através de aberturas no telhado das Kivas, os Hopis observam as estrelas: este facto permite tirar algumas conclusões sobre um eventual significado astronómico das Kivas dos Anasazis, de resto usadas para rituais religiosos.

Pueblo Bonito, o nome atribuído a uma povoação dos Anasazis em Chaco Canyon, dá desde logo uma ideia acerca da cultura dominante que posteriormente se instalou.
Os índios dos pueblos (os Hopis e os Zunis) - legatários directos da herança cultural dos Anasazis - adoptaram muitas das suas tradições pré-históricas, como é o caso da construção com o recurso às açoteias, sendo que as divisões em parte apenas têm acesso através de escadas no tecto. Dos Hopis, ainda hoje vivem 50.000 em reservas no Arizona e no Novo México.
Por conclusão, por mais misteriosos que sejam os envolvimentos e sequenciais vivências e partidas em extinção deste povo, desta cultura ancestral, o certo é que jamais se deixarão apagar no tempo numa erosão humana o que agora lembramos, estudamos e rectificaremos de futuro, se a isso nos permitirem. Para a História Universal ficará sem dúvida, a misteriosa extinção mas igualmente, o deslumbramento de tamanha civilização em guerra ou em paz com os povos ditos extraterrestres, alienígenas ou quiçá seus iguais...
A bem da Humanidade, que a verdade prevaleça!