Translate

sábado, 22 de fevereiro de 2014

A História dos Deuses



Eram os Deuses Astronautas? - Enigmas indecifrados do passado, algo que ainda hoje o autor deste livro «bíblico», Erich von Daniken se impulsiona e, repercute em milhares de pessoas que tal como ele se interrogam, questionam e acabam por chegar à única conclusão possível: os gigantes eram astronautas extraterrestres - ou os descendentes deles - num cruzamento com seres humanos!

Sodoma e Gomorra: foram destruídas por uma explosão atómica. Ló foi instado a apressar-se na retirada com a sua família, porque a contagem regressiva já havia começado.
Profeta Ezequiel - A visão do profeta Ezequiel era, na realidade, o aportamento de astronave procedente do espaço exterior. O mesmo, quanto aos veículos que retiraram vivos da Terra o patriarca Enoque e o profeta Elias.
Na Pré-História, seres humanos estiveram acima da estratosfera e descreveram a Terra como é hoje vista a bordo de uma cápsula espacial. Essa descrição consta de plaquetas de argila encontradas na colina de Kuyundjik, que fica no território onde viveram os Sumérios.
Encontraram-se desenhos e maquete de abrigo anti-aéreo, à prova de exploração nuclear, que datam de 3000 anos a. C.
Encontrou-se no Egipto um calendário exacto, cuja idade é superior a 4000 anos. Há desenhos pré-históricos que representam astronautas operando controles no painel de comando de um foguete.

Erich von Daniken afirma:" Nenhum abismo é tão assustador, nenhum Céu tão cheio de milagres, como o legado dos Sumérios é repleto de problemas, enigmas e mistérios, quando observado com «olhos de espaço cósmico»". Remete-nos então, algumas das muitas curiosidades da mesma área geográfica:
- Em Geoy Tepe, desenhos de espirais, uma raridade há 6000 anos.
- Em Gar Kobeh, uma indústria de pederneiras, à qual se atribuem 40.000 anos de idade.
- Em Baradostian, achados idênticos, com a idade provável de 30.000 anos.
- Em Tepe Asiab, figuras, túmulos e instrumentos de pedra com data anterior a 13.000 anos passados. No mesmo local, foram encontrados excrementos petrificados que, possivelmente, não são de origem humana.
- Em Karim Schair encontraram-se buris e outras ferramentas.
- Em Barda Balka, foram desenterradas ferramentas e armas de pederneira.
- Na caverna de Schandiar encontraram-se esqueletos de homens adultos e de uma criança, que datam de cerca de 45.000 anos antes da nossa era, conforme avaliação realizada pelo processo do C-14.

Erich von Daniken assevera ainda de que, as conclusões a serem tiradas da presença de visitantes especiais na Terra em períodos pré-históricos, têm de ser ainda completamente especulativas. Contudo, por motivos até agora impossíveis de imaginar, lá estavam os Sumérios, com a sua potencial cultura, sua astronomia e sua técnica. Argumenta ainda, perante a hipotética ocorrência de visitantes no Espaço Cósmico na Antiguidade:
- No Líbano existem fragmentos de rocha vítrea, chamados tectites, nos quais o americano doutor Stair descobriu isótopos radioactivos de alumínio.
- No Iraque e no Egipto foram encontradas lentes lapidadas de cristal, que hoje só podem ser manufacturadas, mediante a aplicação de óxido de césio - produto que só pode ser obtido por processos electroquímicos.
- Em Heluã, existe um pedaço de pano tecido com uma delicadeza e suavidade que hoje, na actualidade, só poderiam ser reproduzidas numa fábrica especializada, por tecelões de grandes conhecimentos e notável experiência técnica.
- No museu de Bagdad estão expostas pilhas eléctricas secas que, trabalham segundo o princípio galvânico. No mesmo local podem ser admirados elementos eléctricos com eléctrodos de cobre e, um electrólito desconhecido.
- A Universidade de Londres possui- em seu departamento Egípcio - um osso pré-histórico, amputado com mestria 10 centímetros acima da articulação da mão direita, em corte liso de 90 graus.
- Nas montanhas da região asiática de Kohistan existe um desenho, em certa caverna, que reproduz as posições exactas dos corpos celestes, como de facto as ocupavam há 10.000 anos. Os planetas Vénus e Terra estão unidos por linhas.
- No planalto do Peru foram encontrados ornamentos fundidos em platina.
- Num túmulo em Chou-Chou (China) encontraram-se partes de um cinto feitas de alumínio.
- Em Delhi, existe um velho pilar de ferro, que não contém fósforo e, por isso, não pode ser destruído por influências meteorológicas.

Erich von Daniken faz-nos então questionar de novo, impondo estas questões em jeito conclusivo: "Esta abundância de «coisas impossíveis», afinal, dever-nos-ia deixar ao menos curiosos e, inquietos. Mediante tais recursos qual seria a intuição destes seres primitivos, habitantes de cavernas, chegando a desenhar os astros em suas posições exactas? De que oficina de precisão se originam as lentes de cristal lapidado? Como terão conseguido fundir e lapidar ornamentos de platina, uma vez que esta só começa a fundir-se a uma temperatura de 1800 graus? E, como terão obtido alumínio, metal que só com dificuldades consideráveis pode ser extraído da bauxita? Só nos resta então concluir por hipótese, de visitas do espaço cósmico, uma vez que não estamos preparados a aceitar, ou admitir, que antes da nossa cultura tenha havido outra mais elevada."

O autor do best-seller "Eram os Deuses Astronautas" acaba este magnífico livro em sublime realidade dos novos tempos em que afirma de que o Homem tem diante de si um futuro grandioso que, superará o seu grandioso passado. Regista então: "Não temos culpa de que no Universo existam milhões de outros planetas. Não somos responsáveis pelo facto de a estátua japonesa de Tokomai - de muitos milhares de anos de idade - ostentar em seu capacete fechos modernos e viseiras. Nem sequer, pela existência do relevo de pedra de Palenque... Menos ainda somos culpados se o Almirante Piri Reis não queimou seus velhos mapas e, se os livros antigos e as tradições da História da Humanidade apresentam tantos aspectos desconcertantes... Porém, teremos culpa se, sabendo de tudo isso, não o levarmos em consideração; não o levarmos a sério!"

Como revisão espectral de todo o seu magistral livro de mente aberta e argumentação fiel, Erich von Daniken expira a sua grandiosidade também na eloquente reiteração final:
"Precisamos da pesquisa do Espaço Cósmico, da pesquisa do futuro e, da coragem para encetar projectos de aparência impossível (...). O projecto de uma bem coordenada pesquisa do passado, capaz de trazer-nos recordações preciosas do futuro. Recordações que, então, terão sido comprovadas e que, sem a necessidade de apelar para que nelas se creia, esclarecerão a História da Humanidade. Como uma bênção para as gerações futuras."
Nada mais a acrescentar a não ser: bem aventurado Erich von Daniken que esta divulgação e publicação subsequentes se reiterou em décadas passadas mas não esquecidas na verdadeira História dos Deuses, na verdadeira História da Humanidade! Bem-Haja por isso. A bem dessa Humanidade!