Translate

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

A Energia de Walberla


Planalto Walberla ou "Ehrenburg"  -  Franken  -  Alemanha

Que poderes místicos e energéticos possui este belo lugar em planalto mágico de solo germânico, onde se concretiza uma das mais antigas festas de celebração da Primavera, cuja história remonta ao século XVII?

A Energia de Walberla
Já em tempos muito remotos os seres humanos procuravam lugares onde se pudessem dedicar à introspecção, nos quais o seu desenvolvimento espiritual pudesse ser acelerado e, as suas forças melhoradas e aumentadas. Os centros energéticos - lugares em que as energias se concentram - podem ser fontes, margens de rios, baías ou mesmo formações rochosas invulgares, como é o caso de Ipf, um pequeno monte em Bopfingen, ou do Walberla, nas imediações de Forchheim.
Ocorreu uma catástrofe de enormes proporções quando há 3000 milhões de anos, na região suábia do Alb, a Norte do rio Danúbio, se deu a queda de um meteorito vindo do Céu que, ao embater no solo, destruiu toda a vida existente nas imediações.
Hoje em dia a cratera de outrora, uma extensão de terra conhecida como Ries-Kessel ( a caldeira de Ries), constitui um dos lugares místicos mais importantes de toda a Alemanha. As pessoas mais sensíveis afirmam ser capazes de sentir ainda hoje, a imensa energia cósmica proveniente do grande bloco de pedra vindo do Espaço. O Ipf - um monte de forma cónica com o cume plano que se ergue nas imediações de Bopfingen - na margem desta depressão com 23 quilómetros de largura, é tido como um lugar ideal para a introspecção.

As Festividades Anuais
A circunvalação que rodeia este planalto fornece indícios acerca de um eventual povoamento por parte dos Celtas, que terão escolhido aquele monte com o cume aplanado pelas condições de visibilidade ideais que este proporcionava e aí se instalaram. Se as razões que presidiram à escolha do lugar são também de natureza mística ou energética, mais não se pode fazer do que conjecturar.
Os visitantes dos nossos dias ficam muito entusiasmados com este monte classificado como paisagem protegida, não só pelas invulgares grutas naturais mas também por uma álea serpenteante, ao fim da qual se encontra, sob três velhas tílias, um lugar ideal para meditar. Desde há vários anos são aqui celebradas festividades que marcam a passagem do tempo e das estações do ano, como por exemplo, no solstício de Inverno.

Passeios no Paleolítico
Um sistema de valas em redor do impressionante planalto de Walberla, de tempos pré-históricos, situado próximo de Forchheim, na região de Franken, deixa adivinhar que ali se terá estabelecido uma presença humana por volta de 4000 a. C. A qualidade do solo, os campos verdejantes e os vastos pomares nas imediações e, em redor de Walberla - um monte com 1500 metros de comprimento, 300 de largura e cerca de 523 de altura - prestam testemunho da presença de uma utilização agrícola da zona desde há muitos séculos. Lâminas de sílex de caçadores e, recolectores do Paleolítico, comprovam que se verificaram ocasionalmente incursões nesta região nesses tempos remotos.

O Alcaçuz como Planta Medicinal
Todos os anos no primeiro domingo de Maio, inúmeros visitantes sobem até ao planalto do monte Walberla para aí celebrarem uma festa da Primavera. De acordo com a tradição, trazem consigo alcaçuz, que outrora crescia neste monte e era utilizado como planta medicinal e, nos dias de hoje, é cultivado nos jardins e hortas da região de Bamberg. Também as «bruxas modernas» e os grupos de danças tradicionais e, populares, redescobriram o monte e utilizam-no actualmente para festas de celebração dos solstícios.
Inúmeros usos e costumes da região apontam para cultos pagãos de outrora que, nos primórdios do Cristianismo, começaram a misturar-se com os rituais cristãos. De resto, toda a história deste imponente monte é acompanhada de muitas lendas.

Os Espíritos dos Antepassados
Uma santa chamada Walburga, terá no século XIII tido a intenção de erigir uma capela no alto deste antigo lugar de culto. Os espíritos dos antigos habitantes deste local terão ficado tão furiosos que lançaram pedaços do rochedo sobre ela, porém, os poderes da santa demonstraram ser superiores: Walburga obrigou os espíritos a construir uma capela com essas mesmas pedras. Em sinal de agradecimento, na noite de 1 de Maio, ela terá devolvido a liberdade a essas sombrias hostes. Desde então as bruxas e os feiticeiros aproveitam essa data para celebrar a «Walpurgisnacht» (a noite de Walburga), entregando-se a excessos orgiásticos.
Tirando esta altura do ano - que ainda nos nossos dias continua a ser comemorada com festas de cariz popular - os centros energéticos da Alemanha, permanecem envoltos na tranquilidade de paisagens isoladas. A magia que os envolve só se torna patente, àqueles que tiverem olhos para a ver, ouvidos para a ouvir e, cujos sentidos estejam alerta e abertos à magia dos pequenos momentos.

Os Centros Energéticos
Um centro energético é um local onde o espírito fica calmo e como que iluminado, onde nos sentimos bem-dispostos, com as energias recarregadas e, em paz connosco próprios.
Na busca de um centro energético, dever-nos-emos deixar guiar inteiramente pela nossa intuição.
As pessoas que andam à procura de centros energéticos deverão estar abertas e ser receptivas a novas experiências e, percepções. Infelizmente a maioria de nós, perdeu a sua sensibilidade natural para apreciar a magia de um determinado local, razão pela qual não deveremos ficar desiludidos se, não conseguirmos de imediato, experimentar uma visão esclarecedora ou algo semelhante.
As pessoas dotadas de poderes sensitivos especiais, aconselham a que se visite um desses lugares de concentração de energia a diversas horas do dia e, ao longo de vários dias, se tente investigá-lo e esquadrinhá-lo com os sentidos - deixá-lo surtir efeito sobre si - bem como aproveitar para meditar um pouco.
Os centros energéticos de culturas antigas são frequentemente atravessados por «linhas mediais», também chamadas pelos rabdomantes, «linhas de eloquência». Quando aí estamos, o nosso discurso é fluente, dotado de força e convicção, a capacidade de argumentação é melhorada e, sentimos-nos ligados a uma inspiração superior. Essas linhas mediais são detectadas pelos rabdomantes sob os púlpitos das igrejas, no centro de círculos de pedras ou nos recintos dos templos.

Ainda em relação ao Planalto Walberla - tido como confirmação dos poderes místicos deste lugar - nos dias de hoje, está classificado como Reserva Natural onde, como já se referiu, uma vez por ano no primeiro domingo de Maio, tem lugar a chamada festa de Walberla, uma das mais antigas festas de celebração de Primavera na região de Franken, cuja história remonta ao século XVII. Lugar místico e deveras respeitado por Celtas e Druidas - tendo sido habitado desde há 4000 anos - reporta-nos para o contemporâneo toda a sua aura de energias e poderes superiores, a quem o visite na contemplação e interioridade que se exige.
A bem de todas as coisas e, pelo conhecimento e cultura da Humanidade, assim possa continuar a ser!