Translate

quarta-feira, 13 de abril de 2016

A Era Ecológica IV (À Beira da Extinção...)


Tigre-da-Sibéria (uma das espécies mais ameaçadas da Terra!)

Por onde andam os nossos animais, os nossos seguidores que, não falando ou não se sabendo expressar de forma racional ou tão objectiva quanto o Homem, se têm vindo a extinguir, perante a ociosidade, prepotência - e certo obscurantismo - que este fez e continua a fazer ao longo dos séculos mesmo com eles privando; ou domesticando, por vezes.

Por onde andam todas essas espécies que outrora revestiam o planeta em estrondosa e fluente fauna que, entretanto, se eliminou devido ao factor humano, devido à pungente mão do Homem que tudo erradicou, que tudo matou à face da Terra? Será que por aí ainda andam...? Acredita-se que não; infelizmente!

Por todas as partes do globo centenas ou talvez até milhares de espécies sucumbem pelo factor humano do abate das florestas e da destruição impune dos seus habitats em larga amostragem desta era moderna que se não compagina com a existência e, sobrevivência, dessas tantas perdidas espécies ou animais que, não se reproduzindo em larga escala, vão inevitavelmente reduzindo as probabilidades de se fazerem continuar. E o Homem assiste; impávido e absurdamente estupidificado, vendo-se desenvolver em poucos ou nenhuns esforços para tal redimir ou parar. Até quando...???


Touros de Morte: Touros em sofrimento atroz até que a morte chegue...

Animais em Reservas de Caça ou Parques Naturais; Animais no Circo; Animais em Touradas ou em ilegais círculos de lutas entre si, no embuste e soberba execrável de lucros humanos que roçam os primórdios dos tempos: A tudo os Animais concernem, em tortura, sofrimento e morte. Se tal fosse ao contrário, se tal fosse connosco, seres humanos, em favor de uma outra causa (ou civilização superior) que desmandos e que autoridade poderíamos então ter ou, almejar, perante tais atrocidades...?

Que dizer de tudo isto, em pleno século XXI, em que há Touros de Morte ou Touradas de tortura e morte (em Espanha e em Barrancos, única aldeola portuguesa em que tal cumpre) mortos num círculo de morte, na arena, sem piedade ou complacência alguma para com o seu tão vil sofrimento, por outros que, morrendo mais tarde, febris e ostensivos de um doloroso incumprimento de leis e regras que os absolva dessa tão grande e bolsada dor de sangue e laceração, penam, copiosamente, até chegarem aos matadouros (como acontece ainda em Portugal)? Quem se apieda deles...? Quem luta por eles...?

Que dizer, ainda, de toda esta azáfama circense para gáudio, para prazer abjecto de uns quantos que se sustentam dessa outra economia de multidões, na lúdica passagem dos tempos - e das loucas festividades em ócio de morte - em ócio de uma primitiva e ancestral condição que jamais se deveria perpetuar no tempo...?! Para quando a sua eliminação, a sua extinção???

Serão tão longos e tempos idos assim, os dos Romanos (em carniceiro Coliseu), que no bastião-mor de suas arrogâncias e cúpida tirania, os Cristãos matavam e manipulavam para seu próprio gáudio...?! E que hoje, Daesh (entre outros) o faz, até mesmo para com o seu semelhante em actos igualmente vis de um terrorismo infinito? Seremos todos Animais, e ainda não demos por isso...? Seremos todos, mas todos, civilização humana ou a dita evolutiva Humanidade, a vil escolha e escória de toda esta pútrida sociedade planetária sobre a Terra...? Haverá ainda dúvidas disso???


«American Pitbull Terrier»: Um belo exemplar de Pitbull preparado para a matança na luta entre iguais (ou de outras raças canídeas).

A Fabricação/Cruzamento dos Animais
American Pitbull Terrier: o nome desta distinta raça selvática (ou que o Homem assim apelidou em estabelecido cruzamento de raças canídeas - Buldogues Ingleses, Staffordshire Terriers e outras raças de Terriers famosas pela habilidade na caça), desenvolvida especialmente para participar em lutas.

Considerados os melhores cães de combate, são os mais francos e poderosos vencedores no derrube de oponentes de porte ou estatura maiores. São atiçados, instrumentalizados e monitorizados em práticas tenebrosas e, ilícitas, segundo alguns grupos ou grupúsculos de meliantes que insistem nestas lutas que, sendo proibidas em grande parte pelos países desenvolvidos, se sabe que se prevarica, continuando com estas atrocidades em animais que simplesmente fazem o que lhes é ordenado.

São Animais de Grande Coragem, agilidade, persistência, resistência física, emanando grande tolerância à dor, tendo grande capacidade (ou resiliência) na recuperação ou recobro dos muitos ferimentos nestes praticado e, infligido, após essas terríveis lutas de cães.

O incentivo à agressividade e ao combate não é recomendado por nenhuma entidade cinológica (tanto no Brasil como em Portugal, e em muitos outros países desenvolvidos) ainda que seja imparável o que se faz por vias ilegais - sem denúncia e sem maior envolvimento oficial destas mesmas entidades oficiais e governamentais - que proíbem tais vis práticas. Um tormento e uma calamidade sem termo possível, que urge igualmente combater por quem de direito! Não estando em vias de extinção este ilícito modus-operandi, seria bom que o estivesse nas práticas e nas atrocidades a que submetem os animais como cães de sangue e morte...!


Visualização por Animação em parque lúdico, mostrando como seria, hoje, o extinto Dodó.

Sob Ameaça de Extinção...
Os Dinossauros, os Tigres-de-Dentes-de-Sabre e o Dodó são exemplos famosos de animais que se extinguiram. No caso dos Dinossauros, parece que um acontecimento catastrófico (provavelmente o impacte de um meteorito como alegam já muitos cientistas e investigadores ter ocorrido), alterou o clima o suficiente para levar à sua extinção.

As Extinções e as quase extinções mais recentes - como a Baleia Azul, o Tigre, o Panda e o Bisonte Norte-Americano - resultaram directamente da actividade humana ou por sua funesta mão através dos tempos.

Nos inícios da década de 90, do século XX, as espécies estavam a extinguir-se a um ritmo de três por hora ou 27.000 todos os anos - na exacta referência de número avançado pelo biólogo americano, Edward O. Wilson, da prestigiada Universidade de Harvard, baseado nas suas estimativas mais conservadoras.
Esta Taxa de Extinções acarreta algumas consequências terríveis. Cada Planta que se Extingue, por exemplo, pode comprometer a sobrevivência de 30 Insectos (e outros animais) que dela dependem para a sua alimentação.


A mais horrenda imagem da crueldade humana: O abate não-misericordioso por parte de quem subestima esta espécie animal em proveito próprio na venda - e lucro - do Corno de Rinoceronte.

O Corno/Chifre de Rinoceronte tem Queratina (um dos componentes das unhas humanas), sendo vendido em pó para tratamentos alusivos ao cancro (não sendo comprovado tal) - ou de outras doenças; assim como para o combate à disfunção eréctil ou impotência masculina, igualmente sem eficácia comprovada cientificamente.

A Perda de Habitats
A Perda de Habitat representa uma das principais causas de Extinção. À medida que o aumento da população de muitos países leva ao intenso abate das florestas, assim como à exigência de mais terra para a Agricultura, habitats como as Florestas Húmidas (e as pastagens) desaparecem sem deixar rasto. Uma tragédia ambiental e animal que parece infindável...

Na África Oriental, outrora conhecida pela sua frutuosa e prolífera vida selvagem, poucos animais sobrevivem já fora dos limites dos Parques Nacionais ou das Reservas de Caça.
Noutras Regiões do Mundo, os ecossistemas costeiros são lamentavelmente destruídos em nome do prestigiosos desenvolvimento, o que se não verifica se tivermos em conta esta absurda anulação dos Direitos dos Animais...!

O Rinoceronte-Negro foi em tempos abundante na África Central e Meridional. Desde a década de 70, do século XX, a sua população desceu consideravelmente de 30.000 espécies para apenas 3000 - em consequência da procura do seu corno.
O Corno ou Chifre do Rinoceronte é usado em mezinhas tradicionais em quase toda a Ásia e, em adagas cerimoniais no Iémen. Outra tragédia absurda! Sabe-se que, até ao final de Dezembro de 2015, o número de Rinocerontes mortos por caçadores furtivos, ascendia já a cerca de 1200 deles, segundo afirmações das autoridades sul-africanas.

Na África do Sul devem existir aproximadamente (ainda...) cerca de 20.000 Rinocerontes (cerca de 80% da população mundial desta espécie), sendo que, por última Legislação Sul-Africana, ainda não foi proibida a comercialização do Corno de Rinoceronte, o que se lastima desde já, na procura a cada dia mais acérrima e incessante por parte dos caçadores furtivos/ilegais que abatem esta espécie desmesuradamente. Esta actividade continua assim activa, não havendo medidas para tal estancar, no que existe uma louca perseguição ao Rinoceronte (ao seu corno) e ao marfim, pelos mercados asiáticos ilegais, nomeadamente na China e no Vietname.


Panda: um animal que esteve à beira da extinção. Actualmente, encontra-se protegido em vários locais do globo, sob Zoológicos vigilantes, como é este o caso na imagem acima referida, no Zoológico de San Diego, na Califórnia (EUA).

Destruição de Habitats/Baixa Reprodução
Tem de se referir que, ao longo dos séculos, foi havendo uma razia substancial de habitats que criou, inevitavelmente, a extinção ou redução das espécies como se anotou já.
Em particular em certas zonas - áreas húmidas como o couto de Donana, no sul de Espanha (Península Ibérica) ou os pantanais da Florida, nos EUA - estão a secar em consequência trágica da extracção de água destinada à Agricultura e, ao Turismo.

As Espécies de Aves contam-se entre as mais afectadas pela perda de lugares húmidos. Algumas Espécies são mais vulneráveis à extinção do que outras.
Um Habitat ou uma dieta especializados limitam uma espécie a certas localizações ou alimentos, em especial quando se situa nos níveis mais elevados da cadeia alimentar, como acontece com as Águias.

As Espécies com Baixas Taxas de Natalidade, como a Baleia-azul, o Grou-americano e o Panda-gigante, podem não se reproduzir a um ritmo suficiente para compensar o aumento da sua taxa de mortalidade, ou, para manter assim as suas populações suficientemente numerosas para evitar a Reprodução Consanguínea - o que vem enfraquecer o seu «gene pool», podendo inclusive conduzir à sua iminente extinção.


Urso Pardo: um dos animais mais perseguidos e mortos por caçadores furtivos - e que hoje se tenta manter protegido, em vários pontos do globo; não os suficientes para a contínua matança de que são alvo - infelizmente!

A Matança continua...
As Espécies Corpulentas - como os Leões Africanos, os Elefantes e os Ursos-Pardos - são, muitas vezes, o alvo de caçadores desportivos e profissionais (como no triste exemplo dado e revelado aos media, há pouco, da célebre fotografia de um certo rei europeu, que entretanto já foi despojado da sua coroa, do seu gabarito - e da sua prepotência reinante de ser superior - em alquimia endeusada na caça ao Elefante). Dispensa-se bem estes tristes exemplos de quem deveria ser então superior - e não redentor - de arma na mão e sorriso triunfal na cara, em que, na retaguarda, um infeliz animal jaze derreado e morto, sobre uma árvore...

Espera-se que, dentro em breve, sejam mais raras, mais combatidas e talvez até mais perseguidas também, estas investidas e estas não missões de abate e caça (ilegal!) às espécies ameaçadas do nosso planeta. Contudo, sabe-se que isso é ser ingénuo, demagogo e absolutamente idiota, se se pensar no tanto que ainda há por fazer no combate a estes abusos, a estas peregrinações de sangue e morte, por África, Ásia, ou qualquer outro ponto do globo terrestre onde o Homem sempre se subleva em face aos seus «inferiores»...


A Foto da Vergonha Mundial! (não importa revelar nomes, pois todos nós sabemos de quem se trata...) esperando que tenha servido de lição para tal não se repetir; será...???

A Pesada Mão do Homem...
Os Animais que atacam o gado ou têm fama de atacar o Homem - como os Lobos ou alguns Crocodilos (que por instância de fenómenos climáticos, incêndios devastadores ou fome pronunciada pela falta de alimento) - são abatidos assim que são avistados, nas cercanias das propriedades destes. Que somos todos nós!

Outros ainda podem comportar-se de modo invulgares que se tornam vulneráveis. Os Pica-Paus-de-Cabeça-Vermelha (que não se lembra do celebérrimo pica-pau da Disney em desenho animado?) voam em frente dos automóveis em muitas zonas do planeta em seu habitat até aí natural.

Alguns Cervos (ou Veados, Alces e Renas) são atropelados pelos muitos veículos que, sem preocupação ou desvelo de maior, se permitem investir por zonas onde estes habitam, sendo comum, até nos filmes norte-americanos (e não só), onde por vezes se identificam inúmeras tragédias e baixas humanas - mesmo que devidamente sinalizados esses locais - de acervo e avença de Cervos, Veados ou outros ungulados.

Como curiosidade há a referir que, certos Cervos, chegam a ser atropelados pelos automóveis, atraídos que são por pontas de cigarros (as vulgares mas criminosas beatas que os automobilistas têm por mau hábito lançarem das janelas dos seus veículos) - algo que se tenta a todo o custo proibir, actualmente, ou quando muito avisar de tal não se fazer. Como se vê por aqui, não serão só os incêndios que se tentam evitar, como as mortes de Pessoas e Animais nestas circunstâncias...


Tartaruga-Marinha-Gigante: esta espécie marinha existe há cerca de 200 milhões de anos mas, o Homem, teve o «prestígio» - ou voraz desequilíbrio humano - de, há apenas 100 anos até aos dias de hoje, ter dizimado 95% das Tartarugas Marinhas.

Flashes e Ruídos: o perturbante desassossego das Espécies!
Espécies como Coelhos, Ratazanas, Cães e Gatos, levados pelo Homem para novos habitats, provocaram o desaparecimento de muitas espécies nativas.
Na Nova Zelândia, aves que não voam foram impiedosamente mortas por Ratazanas que escaparam dos navios que transportavam os Colonos Europeus. Se estes levavam Gatos nos convéns para que tal espécie não proliferasse, os cuidados também não seriam muitos, pelo que as Ratazanas - sempre espécies sobreviventes - se reproduziram sem estanque. E com elas, a razia de outras espécies como as destas pobres aves que se não fizeram vingar.

Os Turistas em busca das Maravilhas da Natureza também têm posto em perigo o equilíbrio dos sistemas naturais: Nas Praias da Malásia (por exemplo), centenas de pessoas costumam esperar que uma espécie de Tartaruga-Marinha-Gigante (como a que está visível na imagem acima representada) - em perigo de extinção - faça a sua postura.

O barulho que entretanto fazem e remetem através dos flashes das Máquinas Fotográficas, assustam as Tartarugas e interferem com a dita postura dos animais. Algo que se passa igualmente por muitos dos espaços de Oceanários e Aquários, onde já foi proibida a entrada de máquinas fotográficas ou quando muito a utilização de flashes, uma vez que estes influenciam negativamente o habitat marinho das espécies, amedrontando os animais em pleno sossego de suas vivências.

Áreas remotas como a Antárctida e o Monte Evereste são actualmente visitados regular e exaustivamente por turistas que pisam a vegetação, danificando esta, assim como perturbando as muitas e variadas colónias de aves, num atentado ambiental que urge estagnar ou em breve tudo se extinguirá no planeta, o que se lamenta profundamente.


A ternura selvagem do Tigre da Sibéria...

E tudo o Homem levou...
O Tigre-da-Sibéria e o Gorila da Montanha da África Central contam-se entre as espécies mais ameaçadas da Terra, em consequência do abate de florestas (e da caça, no caso do Tigre) que, como já se referiu, se torna de muito difícil estanque pelos muitos caçadores ilegais que entretanto sempre escapam às autoridades oficiais ou mesmo as que têm incisiva vigilância ou monitorização sobre Parques ou Reservas Naturais.

Há a estimativa nada feliz, de que restem menos de 500 exemplares - abaixo do número mínimo para uma reprodução adequada - destas espécies.
O último Lobo-da-Tasmânia morreu no cativeiro, em 1936. Hoje, tudo o que resta é uma simples foto tirada na época que nos reporta a sua existência como uma das mais ameaçadas do planeta.


A Última Foto do Lobo-da-Tasmânia (Thylacinus cynocephalus) em cativeiro.

A Última Foto...o último registo...
Estes Carnívoros Marsupiais - Lobo-da-Tasmânia - viveram na Austrália e na Nova Guiné em tempos pré-históricos, sendo que no século XIX só restavam na ilha da Tasmânia.
A competição com o Dingo (descendente do cão domesticado) pode tê-lo extinguido na Austrália. A Caça a Prémio aos Lobos-da-Tasmânia começou por volta do ano de 1830, porque estes animais atacavam os Rebanhos de Ovelhas, introduzidas então pelos Colonos Europeus.

Vinte anos depois, a sua sobrevivência ficou indubitavelmente ameaçada; todavia (e apesar desta terrível contingência de perseguição e abate sobre esta espécie animal) a Caça a Prémio por parte do Homem continuou feroz e negligentemente até ao ano de 1909. Daí que não seja novidade para ninguém que só por imagem ou foto agora revelada se veja como era o Lobo-da-Tasmânia - tristemente! E tudo o Homem ceifou...


Tigres: a população que entretanto cresce, sobre todas as perspectivas e dúvidas, criando assim a esperança de novos alentos e novas reproduções animais por todo o planeta.

Talvez haja ainda esperança...
No entanto, há uma boa notícia que, implantada na divulgada informação mundial, nos vem dar conta de que, o número da população/ espécie dos Tigres aumentou pela primeira vez em 100 anos. Uma excelente notícia do Mundo Selvagem!
Vários grupos da Defesa e Protecção Animal vieram assim elucidar o resto do globo de que, a População de Tigres, aumentou consideravelmente desde o ano de 1900. Segundo dados do Fundo Mundial para a Natureza (WWF ou «World Wind Fund for Nature») e do Fórum Global do Tigre, o número avaliado de Tigres selvagens subiu para 3890 em comparação com os 3200 até ao ano 2010.

Mais de metade da População de Tigres encontra-se na Índia, onde 2226 ainda vivem em Reservas de 18 Estados, segundo o balanço de 2014.
Rússia, Butão e Nepal também estimam nas suas fronteiras um elevado número desta população de Tigres, segundo os últimos estudos - mas em nada comparável aos quase 100 mil até aqui existentes no mundo. Todavia, aplaude-se os esforços que estas entidades se têm investido na preservação e continuação das espécies; nesta concretamente.


Panthera Tigris: O Genoma do Tigre-Amur contém 20.226 genes codificadores de proteínas e 2935 RNA`s não codificadores.

Os Desenvolvimentos...
Na Indonésia, o processo tem sido de regressão e não-consciência sobre esta população animal, onde se estima se ter reduzido drasticamente esta espécie devido à desflorestação/desmatamento das florestas com fins industriais destinados ao cultivo do óleo de palma e pasta de papel.
O Cambodja está a pensar seriamente reintroduzir o Tigre como forma de apaziguar os Ecologistas e, talvez, uma outra óptica mundial sobre si, no que neste país se erradicou desta população de animais em extinção - ou provas da sua existência - em dados de 2007.

Há que formular aplausos e enaltecer os esforços que, em 2010, doze países elaboraram na reimplantação desta população de animais - Tigres - em ambicioso plano na duplicação e, proliferação destes animais, destes enormes felinos, antes de 2022. São eles:
Bangladesh, China, Butão, Cambodja, Índia, Indonésia, Vietname, Laos, Mianmar, Nepal, Rússia e Tailândia.

Por estudos recentes (2013) soube-se que, o Tigre-Amur ou «Panthera tigris» é uma espécie muito enriquecida na sensibilidade do receptor olfactivo, no transporte de aminoácidos e genes metabólicos, entre outros. No Genoma do Tigre Siberiano, a sequência mostrou uma similaridade genética maior que 95% da espécie de Tigre com o Gato doméstico.

Foi revelado também de que os genes relacionados com a força muscular, o metabolismo da energia e os nervos sensoriais (actividade do receptor olfactivo e percepção visual) estão em rápida evolução - internamente - dentro de si. Concluiu-se também que, a diversidade genética dos Tigres e dos Leões, está assim tão igual ou similar à do ser humano, o que perfaz a certeza de que estamos todos imbuídos ou envoltos numa só massa, numa só matéria orgânica molecular talvez não tão diferente uns dos outros; ou seja, talvez a nossa origem seja de facto toda a mesma!


O Grande Embaixador em prol dos Tigres: O Actor Leonardo DiCaprio e WWF, na sua eterna batalha contra o mal, contra a extinção dos Tigres ou, mais fielmente, a sua interessada luta pessoal na continuação e, vivência de habitat e segurança desta população animal. Um grande aplauso para ele, desde já!

Leonardo DiCaprio e os Tigres...
O primeiro-ministro indiano, Narendra Modri, fez enunciar e, divulgar por meados deste mês de Abril de 2016, em Nova Delhi, uma conferência ministerial de 3 dias sobre os esforços para garantir a Preservação da Espécie: os Tigres, portanto.

Nesta conferência devem então participar cerca de 700 especialistas, cientistas, investigadores, patrocinadores e restantes gestores mundiais em favor desta mesma peculiar e mui engrandecida causa, sobre a continuidade, reprodução e habitats intactos para a preservação desta população animal.

Insurge-se então o desenvolvimento de uma estratégia comum - a nível mundial - no combate à caça ilegal/furtiva, estabelecendo métodos de exímia monitorização e na melhor e mais cuidada gestão de territórios na agenda. Ou seja, a vistoria ou prospecção territorial mais aplicada ou concisa num maior patrulhamento de zonas e regiões onde se projecte esta preservação das espécies, neste caso, dos Tigres.

O galardoado e excelente actor Leonardo DiCaprio, antes de mais muito belo (por dentro e por fora!) e com uma integridade absoluta em termos ambientais e em favor dos Animais, em particular dos Tigres (desde que tal assumiu, em 2010), veio assim dar maior cor, uso e propaganda a esta conferência mundial, comemorando esta briosa e fantástica notícia do aumento desta população animal no ano vigente.


O mui requisitado e maravilhoso Leonardo DiCaprio (em Óscar de 2016, para o melhor actor): Para quando mais seguidores desta e de outras iguais causas (dos Tigres) - dentro e fora de Hollywood???

O Melhor Actor: ou o melhor de todos nós...?
Desde 2010 que DiCaprio desenvolve uma Fundação que está envolvida acirradamente na Protecção e Preservação dos Tigres. Diz então confiante:
«Estou orgulhos dos esforços da WWF que contribuíram para o aumento das populações de Tigres, pela primeira vez em 100 anos!»

Desde 2010 que existe uma campanha à escala global: «Save Tigers Now!» (Salvem os Tigres, Agora!) da WWF, que pretende continuar esta espécie e, à qual, o prestigiado actor DiCaprio se aliou na causa, como já referido. Nesta iniciativa que se estabelece como prioridade máxima restituir ao planeta, até 2022, o máximo desta população animal no que, DiCaprio deu 3 milhões de dólares (em 2013) para esta mesma causa.

Com esta portentosa doação, os Guardas Florestais (dos quase 5 milhões de hectares de área conhecida como TAL «Terai Arc Landscate» do Nepal), puderam combinar e partilhar entre si, ferramentas sofisticadas de monitorização, além ao investimento no policiamento local e, comunitário. O TAL (que cruza fronteiras) inclui 4 Reservas no Nepal e 7 na Índia, segundo dados do WWF (Fundo Mundial para a Natureza).

Nada mais a pontuar que não seja, Um Grande Bem-Haja a Leonardo DiCaprio por esta sua entrega e, rendição, a quem nada mais pede do que a simples sobrevivência - e não extinção - do circuito planetário em que foi inserido e mal amado; Tigres, e outras tantas espécies que jamais conheceremos que não seja através dos livros, imagens, fotos ou ilustrações, sobre dados deixados na Terra.

Os Animais não são efectivamente «coisas», não senhor; e muito menos, lampejos de alma, festas de touros bravos, caçadas ao Elefante e ao Rinoceronte, ao Tigre e ao Leopardo e a todos os outros animais que se não sabem defender de toda a maldade humana. Os Animais são seres sensíveis, seres que sofrem, agonizam, e morrem; como nós, seres humanos - mas ainda inumanos (muitos de nós!) para tamanha dor em si; dor que lhes provocamos sem nos afligirmos de tal.

Seremos uma Humanidade mais bela, coesa e farta, se para tal nos envidarmos em esforços - e coerência - de não matarmos tudo o que nos seja diferente; e só isso conta, mesmo que não seja ainda o suficiente...