Translate

domingo, 10 de julho de 2016

A Minha Selecção!!!


Selecção Portuguesa de Futebol (erguendo a taça!) em vontade, coragem, glória e merecimento, ao contrário da equipa adversária que tanto a subestimou (e desprestigiou!) ante a bravura e a não-desistência de heróis que se não derrubam nem fazem desistir. Parabéns Selecção Portuguesa de Futebol: Selecção Campeã da Europa! Parabéns Portugal!!!

Quem lhes estragou a festa...? Aos Franceses...? Quem lhes arrogou que ergueriam a taça, aquela tão ambicionada e ovacionada taça de todos os campeões que por ali passaram...?! Quem lhes disse que não seriam os vencedores (e tanto o já tinham para si admitido, que nem tiveram a honra e o «fair play» de terem consignado as cores nacionais de bandeira, prestígio e insígnias portuguesas à Torre Eiffel (à semelhança do que anteriormente fora feito e, soerguido, com imponência e gabarito à escala global em visualização - e mesmo ostentação - da terra das grandes liberdades, luminosidades e igualdades ou fraternidades...?!)

E o que dizer dessa massa de gente - descendentes de Napoleão Bonaparte (entre outros...) - que tão horrorizados ficaram com essa sua derrota (mas não com a falta/agressão - feita inimputável em juízo arbitral pouco condigno - de um dos seus elementos da selecção francesa que lesionou intencional e estupidamente Cristiano Ronaldo!) se viram em apupo de uma multidão furiosa, pouco garbosa e muito, mas muito mal-educada, que não sabe perder. Venceu o elefante-fêmea - Zella - que em vidência e profecia do momento, deu a vitória a Portugal em testemunho claro e contrário à dos seus tratadores alemães que, tal como os Franceses, acreditavam na vitória e não derrota destes. Azar! Pois foi! Afinal o CR 7 anda, move-se (ainda que enfarpado e dorido...) e ergue o caneco, sim, O Caneco, para todos nós, Portugueses!!!

Vocês são lindos! Todos! Começando no herói Éder, acabando nos massagistas, terapeutas, técnicos ou pessoal menor (mas não desconsiderado) e afecto a esta tão grande selecção - que também contribuiu para o grande feito português em terras de França - um enorme abraço de gratidão!
«Mas nem tudo foram rosas, Senhor...» Ou seja, segundo certos especialistas futebolísticos ou nem tanto (tendo sido uma prática comum feita pelos tablóides franceses, o discutir-se não a técnica mas o embelezamento das chuteiras nos pés...) tiveram a ousadia ou o desplante de invocar  e apregoar nos media locais - ou para quem os quisesse ouvir no resto do mundo - de que, a nossa Selecção Portuguesa era um nojo, jogava como tal e, por isso, não merecia ganhar. O nosso treinador, o senhor engenheiro Fernando Santos (o da selecção portuguesa) fez-lhes a vontade: GANHÁMOS E MERECEMOS!!! GANHÁMOS-LHES E MERECÊMO-LO!!!

No meio de tudo isto e, de um país à beira da loucura futebolística (sem esquecer o que se nos avizinha já nesta próxima terça-feita em ventos suados e manipulados da União Europeia que nos ditará os destinos), hoje, só hoje talvez... Somos Felizes, Muito Felizes! Trouxemos o raio do Caneco e Somos uma cambada de gente maluca, à solta pelo Marquês de Pombal, em Lisboa (no resto do país e de todas as zonas circuláveis ou não, Madeira e Açores, Cabo Verde e Guiné, São Tomé e Príncipe, Timor e Macau, Angola, Moçambique e por aí fora, sem esquecer o país-irmão Espanha que torcia por nós e o Brasil de terras de Vera Cruz (além todas as comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo, do Canadá à Austrália...), pois que somos tantos mais que nem os sabemos contar...) Estamos bué contentes, Porra!!! Ao menos uma vez na vida deixem-nos comemorar isto...!

A Minha Alma é Portuguesa; A Minha Alma é do Mundo! (e de outros mundos...!)
Hoje, fomos Deuses! Hoje, a nossa alma estelar brilhou mais alto - ascendeu mais alto (mesmo que tenham ido às canelas ou ao lombo de muitos dos nossos homens que tudo arcaram com um estoicismo de fazer ver todos aqueles Franceses que, à semelhança das Linhas de Torres (em Torres Vedras - zona oeste do meu Portugal - em período de invasões francesas) se viram tombar, fugir ou zarpar, pois que na minha terra mando eu! Ou mandamos nós, Portugueses!

Hoje e Sempre, Portugal escreveu-se nas entrelinhas de pensamentos e, pulsares, que os deuses nos concederam em holofotes de crença e pertença, de podermos acreditar e vencer! E assim «Eles» nos ditaram e abençoaram... reverberando um novo futuro de Esperança, Alegria e Aventurança, mesmo que seja só por um dia: um dia nacional de folga e feriado que o não será mas que com um sorriso desbragado e solto, encherá mil estádios de casa ao trabalho e vice-versa!

Somos e possuímos, hoje, a mais bela luz de toda essa magnificência cósmica no espírito de equipa, na entrega e sacrifício dos corpos ou no empenho colectivo que cada um fez em campo - não o de batalhas perdidas mas o de Vitórias Merecidas! O Povo (feliz!) jamais o esquecerá! Hoje e Sempre!
SOMOS GENTE DE BEM! SOMOS PORTUGAL! Allez! Allez!

Afinal, Ser Português é fácil: basta... «Just do It!» (10 de Julho de 2016 - o dia em que se fez História em Português!) E, se assinalou o nome de Portugal no grande mapa cósmico de outros mundos! Amo-te Portugal!!!